Paulinho da Força

Várias são as categorias de trabalhadores representadas por sindicatos filiados à Força Sindical com data-base neste 2º semestre. Algumas já fecharam acordos, outras ainda estão em negociação, mas a verdade é uma só: as dificuldades para fecharmos bons acordos são muito grandes, e os empresários, como sempre, relutam em ceder um centímetro sequer. E isto porque a economia nacional vem apresentando, ultimamente, leves sinais de recuperação (o que serve como um pequeno alento para que as categorias que ainda estão em negociação sintam-se ainda mais fortalecidas).

Cabe a nós, dirigentes sindicais e trabalhadores, intensificarmos nossa luta por reajustes dignos, com ganho real sobre os salários, e pela manutenção/ampliação de nossos direitos. Não podemos ser meros coadjuvantes neste cenário. Temos de ser os protagonistas desta luta por dignidade, respeito e pela retomada econômica do País.

A conquista de aumento real representa, além de um gás a mais para que possamos melhorar nossas vidas, uma contribuição para que o mercado interno mantenha-se aquecido, com mais dinheiro em circulação, fomentando a produção, impulsionando o consumo e fazendo, assim, com que o Brasil, gradativamente, reencontre o seu rumo.

Se os empresários resistem em conceder aumento real, e muitos não querem sequer repor a inflação do período, alegando que as coisas estão difíceis, que o dinheiro está escasso, o crédito caro e a produção em baixa, entre outras demandas, o que dizer ao nosso respeito, que vemos nossos empregos em risco, nossos direitos serem suprimidos e nossos salários achatados? E que só temos reajuste salarial uma vez por ano?

Não podemos, de forma alguma, perder o foco. A essência das negociações salariais é o reajuste sobre os salários, manter e/ou ampliar nossos direitos e nossas cláusulas sociais. Assumir nosso protagonismo nesta luta por aumento real é fundamental. Temos de estar unidos e mobilizados se quisermos alcançar nossos mais do que justos objetivos.

Fortalecer nossa luta é a chave para a nossa vitória final.

Paulo Pereira da Silva – Paulinho
Presidente da Força Sindical e deputado federal

Fonte: Diário de São Paulo