Paulinho da Força
Paulinho participa de manifestação com integrantes do Solidariedade

A mobilização deste domingo (12) que reuniu milhares de pessoas em todo país para pedir o impeachment de Dilma Rousseff contou com a presença de representantes do partido Solidariedade. Três barracas foram montadas em diferentes pontos da Avenida Paulista, em São Paulo (SP), para pintar os rostos de verde e amarelo e colher assinaturas de apoio à retirada da presidente do poder.

O presidente do partido, o deputado federal Paulo Pereira da Silva, participou do protesto e explicou que esse tipo de manifestação é de extrema importância para a reafirmação da democracia. “Não podemos mais compactuar com a corrupção e com a humilhação do povo brasileiro. A população não admite mais isso. Em maio, entraremos com o pedido de impeachment. Fora Dilma”, disse Paulinho.

Já o presidente estadual do Solidariedade-SP, David Martins, acompanhou de perto o recolhimento das assinaturas na barraca instalada ao lado de uma das saídas do metrô Consolação, na esquina da Av. Paulista com a Av. Augusta. “Nós somos o único partido a ‘botar a cara’ e pedir a saída do PT do governo. Não dá mais para aceitar essa má gestão que já dura tantos anos. Com todo esse apoio, vamos mudar o Brasil”, afirmou ele.
Para reforçar a mobilização, o partido levou à Av. Paulista dois carros de som que tocavam o hino nacional, músicas de protesto e palavras de algumas lideranças.

A manifestação em São Paulo foi considerada pacífica e democrática.

Segundo a Polícia Militar, 250 mil pessoas foram à mobilização. Já o Instituto Datafolha estimou que 100 mil estiveram presentes. Os organizadores estimaram entre 750 mil e 800 mil participantes.

“São Paulo dá uma lição de civismo, de amor à pátria, num protesto gigantesco. O povo dá seu grito de indignação contra um governo corrupto que continua a se fazer de desentendido ante as suas reivindicações. São Paulo está de parabéns”, disse a aposentada de 64 anos, Viviane Brum.
Para a técnica judiciária do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, de 40 anos, Tatiana Saviole Flores, é muito importante ter em mente que o país é do povo. “Não devemos ficar parados vendo os absurdos acontecerem”, afirmou ela.

Os atos foram convocados em todo o Brasil pelas redes sociais e aconteceram em várias cidades de 24 estados e do Distrito Federal.

Leia também:

Solidariedade quer apoio de mais partidos para o impeachment do governo Dilma